Há poucos dias a vereadora Léa Silva Santos (DEM) teria declarado que vai continuar votando em Efraim Filho (DEM) para deputado federal. Está no portal resenha politika (29 de outubro de 2017), sob o título: “Vereadora Léa Silva diz não a Denise e reforça apoio a Efraim Filho para deputado federal.”

Sendo verdadeira a informação podem imaginar os mais apressados que a vereadora cajazeirense estaria rompendo com sua grande amiga ex-primeira dama e ex-prefeita Denise Albuquerque. Será?

Sinceramente, acho essa possibilidade bem remota, conhecedor da amizade entre ambas há muitos anos, embora saiba que em política as amizades vão e vêm como os ventos sopram de um lado para outro e vice-versa.

Tão mais remota torna-se a possibilidade de um rompimento de Léa com o grupo de Denise, que a mesma notícia informa que a vereadora votará com Júnior Araújo para deputado estadual, que é o candidato da ex-prefeita cajazeirense. Ora, que rompimento é esse que quem rompe continua votando no candidato a estadual do grupo?

Não, sinceramente não acredito que Léa Silva esteja rompendo com Denise. Definitivamente não! Até porque se fosse o caso de um desenlace político, tal rompimento não se daria com Denise, mas com Efraim Filho, tenho convicção!

E se é assim, Léa não está rompendo mas, de outra forma, anunciando nas entrelinhas que a candidatura Denise a deputada federal não chegará à convecção. Resumindo, Léa está a apontar que nem Denise será candidata e que os vereadores que hoje lhe apoiam, estarão no apoio ao candidato do grupo que, tenho certeza, será o parlamentar líder do democratas na Câmara Federal.

Como diz a citada matéria Léa “acredita que até o mês de abril de 2018 muito coisa pode mudar e que parte do grupo politico que nas últimas eleições estaduais esteve com Efraim Filho pode retomar o apoio ao jovem parlamentar.”

Léa Silva não está rompendo, meus amigos. Ele está anunciando que Denise não será candidata e que o grupo fechará, como sempre fez, com a candidatura à reeleição de Efraim.

Mas se não é rompimento, o anúncio, agora, antecipa algo que deveria só ser revelado ano que vem, próximo das convenções, valorizando a adesão ao democrata. E antecipando os acontecimentos planejados para 2018, Léa baixa o custo da transação política e ameniza os gastos ao deputado, que certamente lhe agradece.