A vice-governadora Lígia Feliciano participou da abertura do VII Encontro Nacional do Programa Água Doce (PAD) nesta terça-feira (5). A solenidade aconteceu no Centro de Convenções de João Pessoa. O evento segue até a próxima quinta-feira (7) e vai reunir os gestores de órgãos federais, estaduais, municipais, coordenadores e técnicos do Programa de diversos estados, além de representantes das empresas contratadas e de comunidades beneficiadas.

O objetivo do encontro é fortalecer a integração das diversas instituições envolvidas na execução do Programa, capacitar os técnicos dos Núcleos Gestores Estaduais, representantes dos municípios e comunidades para a gestão dos sistemas de dessalinização, além de proporcionarformação de multiplicadores na metodologia do Programa garantindo assim a sustentabilidade dos sistemas de dessalinização e contribuindo para a melhoria do acesso à água de qualidade para consumo humano.

Na Paraíba, o Programa é executado por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia (Seirhmact), por intermédio de convênio com o Ministério do Meio Ambiente com recursos na ordem de R$ 22 milhões. “O Programa Água Doce vem melhorando a qualidade de vida de famílias da região do semiárido, tanto no que diz respeito à saúde, como na criação de possibilidade de geração de renda. Serão 37 municípios contemplados com o Água Doce. 27 Sistemas já estão operando e beneficiando 2.864 famílias em comunidades que antes eram abastecidas com carro-pipa e também água de açude, sem qualidade para o consumo. Com os sistemas de dessalinização, o problema da falta de água para o consumo acabou. Sediar um evento como esse só demonstrar a atenção que o Governo do Estado tem dado a esse programa, que tem mudado a vida de tanta gente”, destacou a vice-governadora Lígia Feliciano.

O secretário nacional de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental, Jair Tannus, ressaltou que o encontro permitirá ainda a troca de experiência entre as famílias beneficiadas. “Nos sistemas instalados pelo Programa há uma ampla participação social voltada para a gestão compartilhada envolvendo as comunidades e representantes dos governos. É um programa ambiental com uma vertente social muito grande que tem melhorado a vida de milhares de pessoas nos municípios mais pobres do Nordeste que não tinham acesso à água potável”, pontuou o secretário.

O coordenador estadual do Programa, RobiTabolka dos Santos, informou qual é a meta do Programa na Paraíba “Até o final de 2018 a meta é construir 93 sistemas de dessalinização beneficiando aproximadamente 50 mil pessoas do semiárido paraibano. Esses equipamentos possibilitam os beneficiários o acesso à água própria para o consumo humano a partir do aproveitamento sustentável de águas subterrâneas”.

A cantora paraibana Elba Ramalho é madrinha do Programa Água Doce e compareceu ao evento. “No meu tempo de criança a seca era cruel, eu vivi a história do poema Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, vendo muitas pessoas migrarem, e ver pessoas morrendo por conta da falta de água. Meu pai fez um poço no quintal da nossa casa e esse poço nos permitiu sobreviver à seca por muito tempo. O Programa Água Doce traz benefícios para as comunidades que são pouco enxergadas”, destacou a artista.

Estado referência – A Paraíba é referência nacional na execução do Programa Água Doce. O sistema produtivo do Sítio Fazenda Mata, na cidade de Amparo, foi destaque, no mês de outubro deste ano, durante o Congresso Mundial de Dessalinização e Reuso de Água, que ocorreu em São Paulo. Hoje a Paraíba é o Estado com maior número médio de beneficiários por sistema.