O ministro Ricardo Lewandoswki, do Supremo Tribunal Federal, liberou para votação no plenário a ação pela qual suspendeu liminarmente a medida provisória (MP) que adiava em um ano o reajuste do funcionalismo federal e aumentava a contribuição previdenciária dos servidores que ganham mais de R$ 5,5 mil, de 11% para 14%.

Agora cabe a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, incluir a ação na pauta de julgamento pelo 11 ministros do Supremo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: paraibaonloine + REDAÇÃO