Professor de direito, o ex-ministro Eugênio Aragão também demonstrou, de forma didática, como os juízes Sergio Moro, João Pedro Gebran e Carlos Eduardo Thompson Flores agiram ao arrepio da lei para manter o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como preso político. Detido há mais de três meses em Curitiba, e reconhecido como preso político por entidade de direitos humanos, Lula pretende se candidatar à presidência da República para evitar o desmonte da soberania nacional – projeto que vem sendo assegurado por setores do Poder Judiciário.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes: brasil247 + REDAÇÃO